O mundo empresarial vem se adaptando para implementar soluções que aumentem a produtividade e a eficiência dos negócios. A tecnologia avança cada vez mais rápido e a internet, ferramenta para aumentar a produtividade, se faz cada vez mais presente como catalizadora dessas soluções.

É por isso que as empresas têm encontrado na migração para a nuvem uma alternativa bastante interessante reduzir custos e otimizar seus processos. Nesse sentido, o data center físico já não parece ser a forma mais eficiente de manter os dados armazenados. O custo com infraestrutura e manutenção é alto e as empresas já perceberam isso.

Entretanto, é comum que surjam algumas dúvidas sobre o funcionamento da nuvem e como fazer sua implementação. Mostraremos aqui tudo o que você precisa saber sobre o assunto e daremos algumas dicas que vão guiar você nesse processo.

1. Entenda por que você deve migrar para a nuvem

Para começarmos, é preciso compreender de que forma a nuvem oferece benefícios para as empresas. É fato que ela vem ganhando espaço no mercado, mas só isso não basta. Destacar alguns pontos possibilita que você avalie, em sua empresa, como essas vantagens aparecerão na prática.

EBOOK Como migrar para nuvem

1.1 Redução de custos

Não dá para falar em implementar uma estratégia ou ferramenta sem pensar no impacto que isso terá do ponto de vista financeiro para a empresa. Nesse caso, a nuvem é, sem sombra de dúvidas, uma excelente forma de reduzir custos.

Manter um data center próprio na empresa exige gastos constantes com energia elétrica, manutenção e profissionais especializados. Isso sem falar no próprio investimento no espaço físico e nos equipamentos, além da substituição periódica.

A nuvem coloca todas essas questões como responsabilidade da empresa provedora, descartando a necessidade desses gastos pela própria empresa.

1.2 Maior nível de segurança

O serviço de nuvem oferece equipamentos de qualidade e, principalmente, profissionais altamente capacitados para gerenciá-los. Em vez de sofrer com a implementação de um sistema próprio de segurança da informação, a empresa repassa suas necessidades para que a provedora cuide da parte prática.

A sensibilidade dos dados corporativos exige essa atenção e, nessa hora, não há espaço para erros.

1.3 Restauração mais fácil

Todo data center está sujeito a sofrer com uma parada ou quebra. O problema é que, quando ele é propriedade da empresa, há uma série de obstáculos para recolocá-lo em funcionamento — como a disponibilidade de um servidor de backup e a agilidade no processo de migração desses dados.

Quanto mais tempo o data center demora para voltar, mais prejuízo a empresa tem. A nuvem é uma forma eficiente de contornar esse problema, já que o serviço oferece servidores de backup e a empresa provedora terá muito mais infraestrutura e mão de obra para lidar rapidamente com a questão.

O resultado é que as falhas são bem mais raras e, se ocorrem, ainda assim são solucionadas de forma mais rápida. Os benefícios se estendem a questões como a maior flexibilidade do espaço disponível, a possibilidade de contratar pacotes sob demanda, mais facilidade para backup, entre outras.

A nuvem faz valer de forma significativa a relação custo-benefício. Ainda assim, é comum que surjam algumas dúvidas. A seguir, falaremos sobre as principais delas para que você entenda tudo o que está envolvido no processo de migração.

2. Tire suas dúvidas sobre a migração para a nuvem

Algumas questões surgem com bastante frequência e, ainda que não seja exatamente o que você tem em mente, suas dúvidas provavelmente estão ligadas a elas. Em todos os itens tratados aqui, é importante saber que você deve utilizar as respostas como referência e avaliar de que forma esse processo se encaixa em sua própria empresa.

Algumas coisas certamente podem ser adaptadas para atender melhor à sua realidade. Por isso, vamos começar do básico.

2.1 Devo migrar todas as minhas aplicações para a nuvem?

Todo processo exige, primeiramente, um planejamento. No caso da migração para a nuvem, ele começa na definição daquilo que a empresa pretende transferir e o que é melhor manter. Ainda que existam exceções, a resposta para essa pergunta é não.

Todas as vantagens oferecidas pela nuvem fazem dela uma ferramenta extremamente importante para que sua empresa mantenha seus dados em segurança e extraia o melhor desempenho de suas aplicações. Apesar disso, é comum que haja uma ou outra que funcione melhor em um servidor próprio.

É claro que, de qualquer forma, os custos serão reduzidos drasticamente à medida que a infraestrutura utilizada passa a ter uma boa parcela na nuvem. Assim, analisar as necessidades  específicas de sua empresa é fundamental para definir o que deve ser transferido na migração.

O mais importante é garantir alta produtividade e redução de custos.

2.2 Qual modalidade de nuvem devo escolher?

A escolha do modelo varia de acordo com diversos fatores, incluindo conectividade, regulamentações e governança.

De um modo geral, a opção pela nuvem pública tem se tornado mais atrativa pelo fato de toda a infraestrutura ser de responsabilidade do provedor.

No entanto, algumas empresas optam pelo modelo de cloud privada por motivos que vão desde conectividade não adequada, a compliance, governança, etc.

2.3 Qual a importância da arquitetura?

É preciso dar atenção especial à arquitetura a ser escolhida para a nuvem da empresa. O ideal é garantir uma estrutura inteligente, que otimize o uso das aplicações localizadas na nuvem. Isso significa garantir que o serviço ofereça mais do que simplesmente espaço de armazenamento.

Backups, por exemplo, são essenciais para a garantia de estabilidade do sistema. A nuvem deve estar preparada para situações adversas e isso só pode ser feito com um espaço destinado a manter cópias dos dados.

A diversidade de serviços inclusos precisa atender às necessidades de sua empresa. Do contrário, no futuro você precisará investir em aplicações complementares.

2.4 E quanto à segurança?

Ela também tem um alto grau de importância. Afinal, você está transferindo os arquivos de sua empresa para um ambiente online. Contar com um serviço que mantenha esses dados seguros é o mínimo para que a dinâmica funcione. Mesmo quando uma empresa investe em data centers próprios, a segurança é um dos pontos mais importantes.

Por isso, algumas questões são similares, mudando apenas o responsável por elas — que passa a ser quem gerencia a nuvem. Com equipes focadas especificamente em cada processo, a segurança tende a ser mais alta.

Os firewalls e antivírus, por exemplo, serão sempre atualizados e programados com o que há de melhor em tecnologia de defesa contra invasões e ataques. Além disso, as empresas que oferecem serviço de nuvem possuem diversos servidores e isso faz com que elas estejam aptas a agir com mais eficiência em situações adversas.

Se algo de errado ocorre em um servidor, por exemplo, ele pode ser isolado até que o problema seja resolvido, enquanto seu backup é transferido para outro servidor e sua empresa mantém as aplicações rodando normalmente. Isso nos leva à próxima questão.

2.5 Eu posso perder meus dados?

Tomando as devidas precauções na hora de escolher seu provedor — como mostraremos mais à frente —, é quase impossível que isso aconteça. Para entender de que forma você estará bem protegido, basta pensar no cenário citado acima.

Com uma ampla infraestrutura de servidores, o provedor é capaz de manter uma rotina de backup dos seus dados para que eles estejam sempre em segurança. Caso seja necessário restaurá-los, o processo é bem mais fácil do que em um data center local. Afinal, com um servidor próprio, um único problema pode comprometer todos os dados da empresa.

Se sua empresa utiliza o serviço de nuvem para rodar aplicações, por exemplo, até mesmo os softwares com versão de testes podem ser separados das operações de usuários finais. Em caso de um erro ao rodá-los, outros processos não serão afetados. Isso não impacta no desempenho de ambas as operações.

2.6 Basta escolher um provedor e iniciar a migração?

Na verdade, não. O processo de migração deve ser executado com cuidado para não comprometer o trabalho dos funcionários de sua empresa e, ao mesmo tempo, garantir alguns objetivos. A vantagem é que você pode contar com o know-how de quem mais entende do assunto, já que o provedor participará do processo junto à sua empresa.

Muitas vezes, estipular o que queremos alcançar após migrar para a nuvem é tarefa fácil. Entretanto, garantir a estabilidade do sistema durante a migração exige bastante planejamento. Garantir que o provedor ofereça todo o suporte necessário é crucial para que tudo seja mantido sob controle nessa fase.

A seguir, mostraremos o passo a passo detalhado para uma migração segura e tranquila. Tão importante quanto cada item é a ordem como eles ocorrem. Por isso, fique atento para compreender de que forma uma empresa pode migrar para a nuvem com inteligência.

3. Aprenda como migrar para a nuvem

Os itens a seguir foram desenvolvidos de forma a esclarecer dúvidas e guiar os responsáveis por todo o processo de transferência para a nuvem. Começaremos mostrando o que é preciso ter em mente para desenvolver um planejamento eficiente.

3.1 Planeje a migração

Já discutimos a importância de definir, antes de qualquer coisa, quais são os objetivos da empresa com a migração e quais operações ela pretende transferir para a nuvem, certo? Para compreender de que forma isso ocorre na prática, é necessário pensar em questões mais específicas do dia a dia.

3.1.1 Objetivo

O primeiro ponto é o objetivo. Para algumas empresas, isso pode ser resumido à redução de custos que a nuvem oferece. Para outras, o foco principal pode ser a possibilidade de oferecer aos colaboradores acesso ao sistema da empresa onde quer que eles estejam.

Podemos identificar até mesmo empresas que optam pela nuvem para que elas possam contar com uma equipe de TI mais eficiente na gestão de seus dados. Qualquer que seja o motivo, ele nos faz pensar nas aplicações em si.

Tendo como referência que a produtividade deve ser elevada e os custos reduzidos — num cenário ideal, é claro —, é preciso criar uma lista do que irá para a nuvem. A seguir, um detalhe que merece atenção especial: a segurança.

3.1.2 Segurança

Algumas dessas aplicações precisam de uma proteção maior, pois a nuvem também está suscetível a ataques e malwares. Avaliar essa necessidade ajuda na definição da arquitetura de nuvem que melhor atende às suas expectativas.

Ao listar as aplicações que irão para a nuvem, categorize cada uma delas quanto ao nível necessário de segurança, as condições mínimas para que elas sejam executadas com eficiência e o espaço que utilizarão. Com essas informações em mãos, ficará muito mais fácil encontrar um plano que se encaixe no perfil da sua empresa.

3.1.3 Espaço

Lembre-se de que o espaço, especificamente, é um detalhe que merece bastante atenção. Algumas aplicações, por exemplo, têm necessidades que variam periodicamente, exigindo espaço ou processamento diferente de acordo com o momento. Isso deve ser destacado para que a empresa verifique se há a possibilidade de ajustar o plano da nuvem.

A cloud pode ser pública, híbrida ou privada, como já destacamos. Esse é, portanto, o momento de decidir qual modelo atende à demanda de sua empresa quanto ao espaço, o processamento, a segurança, entre outros detalhes.

3.1.4 Provedor

Por fim, escolha o provedor com cuidado. Garantir que ele tenha uma reputação de eficiência no serviço e uma infraestrutura sólida é fundamental para o processo. Trataremos disso no final do post de forma ainda mais aprofundada, para que você saiba o que exigir e o que esperar da consultoria em TI.

Lembre-se que, durante o processo de migração, as aplicações mais simples podem ser transferidas primeiro, liberando espaço em seus próprios servidores para as mais complexas e sensíveis.

3.2 Faça réplica dos arquivos

O plano de backup e redundância deve ser desenvolvido antes da migração das aplicações. O motivo é simples: garantir a integridade dos dados e a estabilidade das atividades da empresa durante a implementação na nuvem.

Por mais eficientes que sejam seus técnicos de TI e os profissionais do provedor, lidar com o ambiente digital — seja na computação em nuvem ou internamente — sempre oferece alguns riscos. Certifique-se de que a sua empresa está preparada para lidar com imprevistos e não comprometa os dados no momento da transição.

3.3 Teste a velocidade das aplicações na sua rede

O serviço em nuvem pode oferecer alto desempenho no processamento de dados. Entretanto, é preciso ter em mente que ele será mediado por uma conexão. Portanto, a melhor forma de avaliar se o desempenho atenderá às necessidades da empresa é realizando um teste de velocidade das aplicações.

Primeiro, faça um teste de resposta dentro de sua própria rede para medir o comportamento das aplicações no cenário atual. Em seguida, verifique o tempo de resposta com as aplicações já na nuvem. É preciso garantir que não haja perda de velocidade, pois isso vai contra o seu objetivo de otimizar o uso das aplicações.

3.4 Utilize um sistema confiável de proteção aos dados

A internet é, sem dúvidas, parte fundamental do organismo que faz girar o mundo corporativo. Porém, ao mesmo tempo em que ela aproxima as empresas de seus fornecedores, parceiros e clientes, um espaço é aberto para pessoas mal-intencionadas.

Por mais que os usuários domésticos sejam, em geral, menos preparados para lidar com ataques, as empresas têm muito mais a perder. Isso torna necessário o investimento em um sistema de proteção aos dados corporativos.

Durante o processo de migração, é fundamental que haja um consenso entre a empresa e o provedor sobre a segurança das informações alocadas na nuvem. Certifique-se de que sua equipe não deixe os dados expostos durante a migração, principalmente ao realizar os backups.

É essencial que as cópias dos arquivos sejam mantidas em um servidor desconectado da rede da empresa durante o processo para que um possível ataque não afete toda a operação. Quanto aos dados na nuvem, a forma mais eficiente de garantir a segurança é mantendo uma boa comunicação com o provedor.

Como você deve ter percebido, ele desempenha um papel de grande responsabilidade no processo. O lado bom é que você não estará desamparado.

4. A importância da consultoria de TI

No ambiente corporativo, não há espaço para ações sem planejamento prévio. Entretanto, mesmo com bastante dedicação e cuidado na hora da execução, sempre corremos o risco de deixar passar algo. Por isso, contar com alguém experiente nesse processo é a melhor forma de garantir planejamento e execução sem sustos.

Durante a migração, a consultoria de TI é a melhor amiga do gerente. Seu papel vai muito além da avaliação do que está sendo feito. Mostraremos, a seguir, algumas questões que esclarecem a importância desses profissionais na transição para o serviço de nuvem.

4.1 Planejamento otimizado

Mesmo ciente de que cada empresa tem seu próprio modo de trabalhar, criar estratégias partindo do nada é algo muito complicado. O mais seguro nesse momento é avaliar modelos que já funcionam e adaptá-los à realidade do seu empreendimento. Por isso, a consultoria de TI é insubstituível ao migrar para a nuvem.

Com alto nível de conhecimento técnico e a experiência de já ter participado de outros processos similares, os consultores estão aptos a identificar pontos fracos em diversas questões que costumam passar batido.

Muitas vezes, acreditamos que o melhor desempenho de um aplicativo pode ser alcançado em certas condições, mas um consultor experiente mostra que a mesma estratégia falhou em outra empresa e, ao mesmo tempo, propõe uma solução eficaz.

Um planejamento inteligente é aquele que, depois de executado, exige poucos ajustes, em vez de grandes reformulações. É difícil contar com uma equipe interna tão capacitada a ponto de dominar suas funções e, ao mesmo tempo, uma situação específica como um plano de migração para nuvem.

4.2 Redução de custos

Novamente, a questão do custo do projeto surge como diferencial. Se a ideia de migrar para a nuvem é de reduzir custos com uma infraestrutura interna, não dá para desperdiçar dinheiro com horas extras e contratações emergenciais para resolver problemas da migração.

A consultoria de TI oferece uma equipe montada exclusivamente para aquele fim. O custo torna-se, na verdade, um investimento, já que há garantia de um serviço que não estará sujeito a retrabalhos.

Além disso, o resultado é uma performance otimizada, inclusive em relação à arquitetura utilizada atualmente na empresa. Durante o processo de migração, a consultoria pode avaliar de que forma os recursos podem ser melhor aproveitados. O resultado é um plano de computação em nuvem mais econômico.

4.3 Integração de sistemas

Empresas que passam por uma fase de crescimento geram, na equipe de TI, um acúmulo de recursos que foram se somando ao longo do tempo. Por mais que eles tenham sido implementados para diversas funções necessárias na empresa, seu desempenho seria bem maior se os sistemas fossem unificados.

O momento de migração para a nuvem representa uma oportunidade interessante para essa ação — e a consultoria de TI oferece o conhecimento técnico necessário para identificar de que forma isso pode ser feito.

Seja por meio da substituição de algumas aplicações por um sistema único ou mesmo pelo auxílio no desenvolvimento de um software próprio, a consultoria possibilita que a integração seja uma realidade. O mais interessante é que isso gera economia de recursos e, consequentemente, de dinheiro.

5. Conclusão

Quando abordamos essas questões de forma detalhada, fica muito mais fácil identificar os motivos pelos quais a nuvem tem ganhado cada vez mais espaço no mercado. O mesmo efeito já foi visto com diversas ferramentas — considere o próprio computador, por exemplo, e o processo de popularização de sua utilização, seja doméstica ou corporativa.

Quando uma tecnologia oferece soluções muito mais eficazes e econômicas do que as anteriores, ela tende a ser amplamente adotada. A nuvem elimina a necessidade de grandes investimentos em equipamentos próprios, equipes focadas em gerenciá-los e em fazer a manutenção — além de complexas políticas de segurança interna.

Portanto, fazer uma avaliação da relação entre sua empresa e a infraestrutura digital que ela possui é fundamental. Uma grande redução de custos e uma melhoria no desempenho podem ser alcançadas por meio da migração para a nuvem. Não perca essa chance de revolucionar a estrutura tecnológica que você utiliza!

Gostou do post? Então deixe seu comentário e conte-nos qual é a maior vantagem que a sua empresa pode conseguir adotando a nuvem!

Confira também