O termo backbone em TI representa o esquema de cabeamento para ligações centrais de um sistema de alto desempenho. Na Internet, trata-se de uma espinha dorsal que trafega todos os dados do usuário no mundo. Ou seja, a sua função é conectar os pontos de acesso das operadoras aos servidores nacionais e internacionais.

Para se aprofundar no assunto, vamos compreender mais sobre esse conceito, as suas vantagens e quais as principais aplicações do backbone em TI. Vamos lá?

O que é backbone em TI

Como definição, backbone é a parte da rede que interconecta todas as suas peças. Ou seja, é responsável pela comunicação de todos os elementos e pela distribuição do tráfego. Em redes locais, o backbone conecta todos os modens e roteadores da instalação. Em redes maiores,  até países diferentes podem ser interligados por backbones — como acontece na Internet, por exemplo.

Mesmo que a maioria das pessoas não se dê conta, toda a rede de Internet que existe hoje é conectada via cabos de fibra óptica, que compõem a infraestrutura que chamamos de backbone. Ou seja, a forma mais simples de enxergar essa tecnologia é como um sistema de cabeamento de grande alcance, com direito a cabos submarinos e terrestres.

Para ilustrar, sempre que uma mensagem é enviada pelo seu computador, na realidade ela é emitida por uma rede local e transferida para o backbone, que faz as conexões necessárias para entregá-la ao destinatário correto. Ou seja, todas as informações que compõem a Internet trafegam por uma enorme rede de servidores, enquanto todos eles trocam informações a todo momento por meio dessa tecnologia.

No Brasil, o uso de backbone para Internet teve início em 1991 com a instalação das conexões discadas, interconectando apenas 11 cidades. Ao longo da década, a instalação foi aprimorada e ampliada para diversas cidades do país. Já em 2000, o backbone brasileiro conectava os 26 estados da federação e o Distrito Federal.

Recentemente, a Claro anunciou a reestruturação do seu backbone, já visando a aplicação da rede 5G no país. Esses casos ilustram a importância do uso desse sistema para a operação da Internet no Brasil, inclusive para a expansão da chamada quinta geração da Internet móvel.

As vantagens do backbone

O uso de backbone para uma rede ou sistema confere diversos benefícios interessantes. Primeiramente, o uso de uma forma de espinha dorsal para interconectar a rede oferece maior potencial de escalabilidade e expansão dessa infraestrutura. Dessa forma, pode-se adicionar e remover equipamentos sem impactar no funcionamento dos demais. Ou seja, toda a rede pode passar por upgrades consistentes sem que ela tenha de ser desativada.

Além disso, por ser uma infraestrutura de conexão entre dispositivos de rede, o backbone permite conectar aparelhos distantes uns dos outros. Dessa forma, não há limites para a abrangência da rede, que pode conectar de um simples escritório a países inteiros. Geralmente, utilizam-se cabos submarinos para fazer conexões de longo alcance.

A durabilidade é também um fato importante em uma instalação backbone. Redes como essas são projetadas para não exigir manutenção frequente, com ciclo de vida médio de dez anos. Como resultado, os custos de reparo são reduzidos e tornam a rede mais segura e eficiente. Por sua natureza distribuída, esse sistema previne também eventuais panes elétricas e outras complicações.

Por fim, a principal vantagem do uso de backbone são as altas velocidades oferecidas pela rede. Por ser projetado para ser escalável e durável, esse tipo de cabeamento é feito para dar suporte a tecnologias superiores às vigentes no mercado, para que toda a infraestrutura possa ser atualizada quando surgir uma nova tecnologia. Como resultado, apesar do backbone da Internet atual transmitir dados a 10 Gbps, ele dá suporte para conexões de até 100 Gbps.

Os padrões internacionais de backbone

Considerando o uso de backbone em escala internacional para transmissão de dados de áudio, vídeo, telefonia e outros, foi necessário o desenvolvimento de normas para padronizar essa instalação. Para isso, durante a década de 1990 foram criadas as Normas de Cabeamento Estruturado, o EIA/TIA 568 e o ISO/IEC 11801.

O primeiro deles, o EIA/TIA 568, teve como objetivo criar um padrão de cabeamento para telecomunicação, principalmente voltado para prédios, nos quais eram utilizados diferentes tipos de cabos desordenados para as instalações. Em seguida, a ISO/IEC 11801 formalizou a adoção dessa norma como padrão, estabelecendo os detalhes de como o cabeamento deve ser feito para redes de até 3 km, podendo ser estendido para estruturas maiores, como é o caso de um backbone.

A importância do backbone

O uso do backbone em TI tem grande relevância para ampliar e sustentar a conectividade. Como vimos acima, os ganhos são em segurança, estabilidade, performance e manutenção. Essa solução tecnológica é a responsável pela comunicação entre todos os elementos da rede, passando as informações entre os pontos de acesso para os servidores locais e remotos.

O uso de sistemas de cabeamento estruturados para redes privadas e corporativas é também para garantir a consistência na operação da empresa. Por exemplo, serviços de manutenção não podem ser responsáveis por deixar toda uma empresa desconectada. Nesse contexto, o backbone oferece a infraestrutura necessária para gerenciar todos os dispositivos ativos, bem como instalar novos e remover peças com problemas.

Em termos de segurança, o uso de cabeamento estruturado com backbone também traz vantagens. O uso de datacenters oferece mais segurança física ao armazenar os componentes em locais centralizados com infraestrutura específica para o bom funcionamento da rede. Assim, é possível garantir o desempenho da rede mesmo sob condições adversas.

Aplicado à Internet, podemos atribuir o seu funcionamento ao uso de backbone, nesse caso em uma robusta estrutura de cabos conectando datacenters em todo o mundo. Com o crescimento da computação em nuvem, o uso dessa tecnologia ganha ainda mais importância, responsável pela transmissão de dados em alta velocidade e com grande integridade.

Agora que conseguimos entender mais sobre a importância do uso de backbone em TI, que tal conhecer mais sobre computação em nuvem e como fazer backup de dados nesse tipo de serviço? Para isso, não deixe de ler o artigo sobre backup na nuvem!