Skip links

Tráfego global na nuvem em 2019 será de 8,6 zettabytes

Demanda por serviços pessoais e popularidade da nuvem corporativa vão acelerar demanda

O tráfego global na nuvem irá quadruplicar até o final de 2019, subindo de 2,1 para 8,6 zettabytes (ZB), superando o aumento do tráfego total de data center, que deverá triplicar durante o mesmo período (de 3,4 para 10,4 ZB). A conclusão é de estudo realizado pela Cisco.

Em termos regionais, a América do Norte terá o maior volume de tráfego em nuvem (3,6 ZB) em 2019; seguida pela região Ásia-Pacífico (2,3 ZB) e pela Europa Ocidental (1,5 ZB). Em termos regionais, a América do Norte também terá o maior volume de tráfego de data center (4,5 ZB) em 2019; seguida pela Ásia-Pacífico (2,7 ZB) e pela Europa Ocidental (1,8 ZB).

Segundo o levantamento, vários fatores são responsáveis pelo crescimento acelerado do tráfego e pela transição para serviços na nuvem. Entre eles, destacam-se a demanda por serviços pessoais, a popularidade da nuvem pública corporativa, o aumento do grau de virtualização nas nuvens privadas e o crescimento de conexões máquina a máquina (M2M).

No estudo, a Cisco também prevê que a internet das coisas (Internet of Everything, IoE, como batizou a empresa), vai gerar aumento do tráfego de data centers e na nuvem. Há uma ampla de aplicações de IoE gerando grandes volumes de dados, que deverão atingir 507,5 ZB por ano (42,3 ZB por mês) em 2019 – volume 49 vezes maior do que o tráfego de data center projetado para 2019 (10,4 ZB).

Atualmente, apenas uma pequena parte desse conteúdo é armazenada em data centers, mas isso pode mudar, à medida que a demanda por aplicações e o uso de análises de big data evoluírem (ou seja, análise de dados coletados para a tomada de decisões táticas e estratégicas).

Hoje, 73% dos dados armazenados em dispositivos encontram-se em PCs. Em 2019, a maioria dos dados armazenados (51%) será transferida para dispositivos além do PC (smartphones, tablets, e módulos M2M, por exemplo). Com o aumento do volume de dados, a Cisco prevê maior utilização do armazenamento pessoal em nuvem.

Nuvem privada x nuvem pública
A nuvem pública está crescendo mais rapidamente do que a nuvem privada, indica o estudo. No entanto, durante os cinco anos do estudo, a nuvem privada continuará superando a nuvem pública em grau de virtualização. Com as empresas cada vez mais levando em conta seus recursos de TI e suas demandas por maior agilidade, a adoção de nuvens públicas deverá aumentar.

Assim, as cargas de trabalho em nuvem pública terão taxa de crescimento anual composto (CAGR) de 44% entre 2014 e 2019, enquanto as cargas de trabalho em nuvem privada vão crescer a um ritmo mais lento (16% CAGR), entre 2014 e 2019.

Além disso, em 2019, 56% das cargas de trabalho na nuvem serão armazenadas em data centers de cloud pública, contra 30% em 2014. (CAGR de 44% entre 2014 e 2019)

Fonte: IT Forum, 30 de outubro de 2015.

Leave a comment