Skip links

Custos na AWS: entenda e descubra como otimizá-los

Você está pensando em migrar para a AWS? Já utiliza o serviço, mas acha que não consegue extrair o máximo da solução? A variedade de oferta da Amazon Web Services pode intimidar às vezes, ou dar a impressão de que nunca estamos aproveitando bem o dinheiro investido.

Mas acabar com essa insegurança tem a ver com informação. Entender os custos na AWS e saber como lidar com eles da melhor forma é o caminho para uma TI eficiente, econômica e impulsionadora do negócio. Você está pronto para atingir esse patamar? Então nós te contamos o que você precisa saber:

Quais são os custos na AWS

É normal que muitas dúvidas apareçam no planejamento quando o gestor de TI elabora uma migração para os serviços web da Amazon, principalmente relacionadas à questão de precificação e contratação da infraestrutura necessária para a operação da sua empresa.

O que pode parecer complicado a princípio é, na verdade, a grande vantagem para os clientes da plataforma. São mais de 70 serviços de nuvem que podem ser adquiridos individualmente ou em pacotes: computação, armazenamento, análise, banco de dados, implementação de tecnologia e aplicações práticas.

Tantos serviços dão uma impressão natural de que o custo de manter a empresa funcionando na AWS é maior do que uma estrutura própria, mas é exatamente dessa liberdade de escolha que surgem os ganhos em economia, previsibilidade e otimização de processos para impulsionar o crescimento da sua empresa.

 

Como otimizar seus custos na AWS

Mas, mesmo que o custo da AWS seja menor (em valor absoluto ou pelo ROI), sempre há uma forma de otimizar esses gastos e extrair o máximo da estrutura que você contratar. Veja alguns exemplos de atitudes que um gestor de TI pode tomar para conseguir eficiência com viabilidade econômica:

Planeje bem a sua demanda

Como a AWS é muito flexível e oferece muitas soluções personalizáveis, o planejamento de implementação deve ser minucioso e vir antes das escolhas principais, como instâncias e as ferramentas que farão parte do seu pacote de serviços contratado.

Quais serão suas demandas de processamento? Quanto de armazenamento é suficiente para acolher o mínimo da sua operação? Qual é a largura de banda ideal para seus processos internos e atendimento ao cliente? Essas e outras perguntas definirão exatamente o mínimo de estrutura que você precisa para funcionar e vão direcionar sua equipe a construir seu sistema ao redor disso.

Dessa forma, não há desperdício com serviços ociosos nem a necessidade de correr atrás de mais recursos no futuro. Um bom planejamento no início significa aplicar bem o seu investimento durante todo o processo.

Consiga descontos com instâncias reservadas

Outra grande vantagem de um planejamento bem feito é a capacidade de prever suas necessidades e reservar instâncias que atendam a sua empresa por um período mais longo — principalmente no caso de instâncias EC2.

Na AWS, é possível reservar vários tipos de recursos por 1 ou até 3 anos e receber um desconto pelo tempo de contrato. O valor pago em 1 ano de reserva, por exemplo, pode ser igual a apenas 7 meses no modelo de assinatura mensal.

Aposte na elasticidade do serviço

O modelo da AWS faz tanto sucesso por causa da sua estrutura de escala automática e é nessa característica que você deve focar seu planejamento e implementação.

Em outras soluções e na criação de uma estrutura própria, é comum ter instâncias configuradas previamente para lidar com picos de demanda, mas isso significa ter muitos recursos ociosos na maior parte do tempo.

Investir na AWS significa investir em elasticidade. O ideal para gastar menos com infraestrutura de TI é ter uma reserva mínima para atender à maior parte da sua demanda e aplicar ferramentas de monitoramento e agendamento para aumentar a oferta de recursos apenas quando ela for necessária.

Use mais para pagar menos

A precificação do AWS premia os bons clientes oferecendo descontos graduais baseados no volume de uso. Ou seja, quanto mais você utiliza, mais você economiza.

Uma estratégia para otimizar os custos é trabalhar com essa característica a seu favor. Quando for elaborar ou ajustar sua estratégia de nuvem, redesenhe seus processos de forma que o máximo possível de tarefas, rotinas e manipulação de dados seja feito pela AWS.

No fim, o custo extra de novos recursos será menor do que manter essa operação internamente e ainda contribuirá para um valor total menor de investimento.

Utilize as calculadoras do AWS

E para facilitar ainda mais essa sua decisão, a própria Amazon disponibiliza duas calculadoras comparativas para que você preveja os gastos e decida qual é a melhor solução no caso da sua empresa para otimizar os custos.

Enquanto a calculadora mensal aponta o valor de serviços contratados de forma avulsa, a calculadora de TCO combina a sua infraestrutura atual com os serviços oferecidos pela AWS — inclusive com os descontos no caso de reservas. Explorar o que elas têm a oferecer é um jeito de entender melhor esses custos e decidir a melhor estratégia para o seu departamento de TI.

Como uma consultoria especializada em otimizar custos na nuvem

E se ainda assim os custos da AWS parecem um pouco complicados (principalmente para comparar custo e benefício entre ela e sua infraestrutura própria), uma consultoria em TI pode ser uma parceira para que você otimize seus gastos e conte com os recursos ideais para a sua empresa.

Para ter essa segurança extra, busque parcerias tecnológicas certificadas pela AWS, especializadas em fazer esse cálculo e ajustar o seu planejamento à disponibilidade de investimento da empresa.

E esse é o ponto mais importante de entender os custos na AWS e saber como otimizá-los: uma solução tão robusta para a TI de qualquer empresa precisa ser muito bem implementada para que o gestor extraia dela seu máximo potencial de impulsionar o negócio.

E aí, ficou alguma dúvida sobre os custos na AWS? Você tem alguma outra dica que para otimizar esse investimento? Contribua com a discussão deixando o seu comentário!

 

Leave a comment