Ao trabalhar com a criação de um software, os desenvolvedores se deparam com muitas etapas ao longo da jornada, todas cruciais para que o resultado saia conforme o esperado. Na fase de testes, o desenvolvedor responsável deve testar por inúmeras vezes a mesma funcionalidade para capturar erros e fazer análises. Como esse processo pode fazer com que ele pule etapas e não perceba alguns bugs, uma opção é a automação de testes de software.

Com a automatização, a captura dos erros será mais rápida e assertiva. Desse modo, o tempo de toda a equipe é poupado, uma vez que qualquer falha que não é percebida gera retrabalho, sendo necessário refazer parte do projeto para a correção do software.

Neste artigo, iremos explicar sobre a automação de testes de software e como ela pode ajudar a entregar seu produto de acordo com o que é esperado, prezando a velocidade na entrega sem abrir mão da qualidade do software.

Como funciona a automação de testes de software?

Esse processo é feito por meio do uso de softwares desenvolvidos para gerenciar e controlar alguns dos testes realizados pela equipe. Aplicar estratégias e usar ferramentas de comparação dos resultados é imprescindível para que os resultados obtidos sejam equivalentes aos desejados.

Tais ferramentas permitem gerar relatórios e configurar funções de controle para cada teste realizado. Sendo assim, a automação se dá a partir de um processo de definições de regras a serem seguidas.

Ao escolher os testes que serão automatizados, deve ser levado em consideração o contexto do projeto. Geralmente, são os testes agrupados nestas áreas:

  • Smoke tests: pequenos testes para a liberação feita antes do início de um ciclo de testes;
  • Teste de regressão: tem como objetivo re-testar alguma funcionalidade ou o próprio software;
  • Funcionalidades críticas: permite validar funcionalidades críticas ao software;
  • Tarefas repetitivas: simulações, comparações de dados, arquivos e outros (testes que estão suscetíveis ao erro devido a repetições).

Quais os benefícios da automação de testes de software?

A pesquisa realizada pela TechWell entre profissionais que atuam na área em empresas de pequeno e médio porte indica que as organizações que automatizam mais da metade de seus testes passam por ciclos de testes mais rápidos. Além disso, 71% dos entrevistados indicou melhora na cobertura dos testes realizados, sem contar no aumento da capacidade de perceber erros de forma antecipada.

Outro benefício é a redução da probabilidade de erros, conforme foi citado, contribuindo na otimização do tempo do time de desenvolvedores. Isso porque, além de a automação tornar possível focar em outras tarefas do projeto, é uma ótima forma de documentar o que foi feito em relação ao software.

Quais as ferramentas disponíveis?

Quando se trata de automação de testes de software é importante trabalhar com a ferramenta de automação ideal para o software que está sendo desenvolvido. Conhecer a ferramenta e saber se ela é adequada para seu projeto é um quesito indispensável. Sendo assim, listamos abaixo algumas das principais ferramentas de automação do mercado.

Robotium

Se trata de uma ferramenta bastante conhecida para aplicações de testes de aplicativos para dispositivos Android. O Robotium torna mais fácil a escrita da automação dos testes de caixa-preta e é compatível com aplicações híbridas e nativas.

Ele é capaz de realizar simulações que seriam de responsabilidade da equipe, como pesquisar, criar e remover registros.

Appium

Ferramenta de automação open source multiplataforma que possibilita a automação de testes em aplicações nativas e híbridas. O Appium permite que o desenvolvedor faça a automação dos testes independente da linguagem, uma vez que aceita scripts em C#, PHP, Java, Ruby, Clojure, Perl e Node.js.

Apesar de ser voltado para aplicações Android, pode ser usado também para automação de testes em aplicações desenvolvidas para iOS.

Watir

Baseado em bibliotecas do Ruby, o Watir pode ser usado em testes de diferentes navegadores, uma vez que é voltado para testes da Web desenvolvidos em código aberto. Além disso, se trata de uma ferramenta bastante leve.

Usada por empresas de peso como o Facebook e Oracle, também pode ser empregada em testes que são orientados a dados e se integram com ferramentas como Cucumber e Test/Unit.

Selenium

Considerada uma das estruturas de automação mais utilizadas do mercado atualmente, ela serve como base para algumas outras ferramentas de automação de testes de software. Criada no início dos anos 2000, consiste na principal escolha dos programadores.

É compatível com os sistemas operacionais mais utilizados, pois trata-se de uma ferramenta open source que pode ser operada por alguns navegadores, como o Internet Explorer, Chrome, Headless Browsers e Firefox. Seu uso também pode ser feito através dos sistemas Linux, Mac e Windows.

Por apresentar esses requisitos e alguns outros, a automação de testes através do Selenium se torna possível em várias linguagens como Perls, PHP, Java, JavaScript, Python, C#, Groovy e Ruby.

Quando realizar a automação?

A automação de testes está diretamente atrelada ao que é esperado do produto final. Esse é um passo que deve ser dado visando principalmente a viabilidade do processo. É importante que com a automação de testes de software você ganhe tempo, mantenha a qualidade e reduza os custos.

Além disso, tenha em mente a quantidade de vezes que esses testes devem ser realizados e com qual frequência serão feitos novamente, o que é esperado quanto aos testes obtidos e o grau de mudança das funcionalidades que irão para teste. Afinal, não é interessante automatizar o teste de uma funcionalidade que vai ser alterada num intervalo pequeno de tempo.

A automação de testes requer que a equipe desenvolva, através das ferramentas de automação, novas estratégias de testes e que os desenvolvedores sejam capazes de usar novas ferramentas e habilidades.

Dessa forma, a automação deve ser bem analisada junto à equipe para que assim seja possível definir quais projetos vão ser automatizados e se realmente valerá a pena realizar o processo. 

Esse pode ser um investimento pesado que vai demandar habilidade, tempo e dinheiro. Mas, no período de médio a longo prazo, é retornável devido à qualidade que agregará a seu produto final.

Agora que você já está por dentro da automação de testes de software, que tal conferir neste outro artigo as 5 razões pelas quais o investimento digital vale a pena?