Uma das soluções que estão mais na moda no momento na área de TI são as arquiteturas serverless, que tem ganho bastante atenção por parte dos profissionais e especialistas do setor, tanto no mundo acadêmico, quanto âmbito profissional.

Com o foco na aplicação e não na infraestrutura, essa nova arquitetura transforma os modos de produção na área de TI, representando uma verdadeira revolução, principalmente no que concerne a escalabilidade dos serviços e da redução de custos.

Mas o que é serverless, como funciona essa estratégia e quais são os benefícios de seu uso nas empresas? Continue a leitura deste artigo e entenda!

O que é serverless?

O conceito de arquitetura serverless pode parecer um pouco complicado, inicialmente. Por isso, começaremos definindo segundo um grande especialista da área, Mike Roberts. Em tradução livre, fica da seguinte forma:

“As arquiteturas Serverless dizem respeito aos aplicativos que dependem significativamente da prestação de serviço de terceiros (conhecido como Backend como Serviço ou “BaaS”) ou no código personalizado que é executado em contêineres efêmeros (Função como Serviço, ou FaaS”)”.

Resumindo, é um termo que representa um novo conceito dentro de cloud computing, indicando que não é mais necessário ter uma máquina virtual em nuvem. Diferentemente do que o nome sugere, ele necessita de um servidor para rolar o código, porém, não é necessário comprar ou provisionar máquinas virtuais e servidores para rodar a aplicação.

Em outras palavras, é um modo de execução no qual o provedor, alocado em nuvem, gerencia dinamicamente a alocação e o provisionamento dos servidores para atender a uma demanda. São executados nos contêineres efêmeros e disparados por eventos (event-triggered), que são totalmente gerenciados pelo provedor.

Para entender melhor, é importante conhecer o conceito de Functions as a Service (FaaS). Ele diz respeito a uma fase de implementação da arquitetura, na qual os desenvolvedores podem implantar uma função individual. Seus princípios são:

  • gerenciamento completo de servidores;

  • cobrança baseada em invocação, ou seja, é cobrado apenas aquilo que é usado;

  • foco em eventos e instantaneamente escalonável, não sendo necessário entrar em contato para adquirir maior espaço.

Como funciona essa estratégia?

Uma arquitetura serverless consiste, essencialmente, em uma estrutura de servidor web, uma camada FaaS e um serviço de token de segurança, além do serviço de autenticação de usuário e banco de dados.

Ele trabalha de uma forma bem simples, não sendo necessário construir nem manter uma infraestrutura robusta para que a aplicação funcione adequadamente.

Normalmente, essa estratégia é orientada a eventos e tem como diferencial a sua infraestrutura. Diferentemente de outros padrões, no lugar de uma série de unidades compactas, ele foca na entrada e na saída de uma ação, em vez de focar nos meios para sua saída.

Assim, os responsáveis não necessitam focar no gerenciamento de servidores, deixando esse quesito para o provedor do serviço de computação em nuvem.

Alguns analistas e especialistas da área dizem que há semelhanças com a proposta de PaaS (Plataforma como Serviço), apesar de haver algumas diferenças entre elas. Por exemplo, o PaaS é mais complexo do que o FaaS, já que o segundo só precisa especificar quais serão as funções executadas.

Diferentemente de instalações tradicionais, nas quais os recursos presentes no servidor representam custos fixos e recorrentes, no sistema serverless, o cliente paga apenas por aquilo que utilizar, sem custos associados aos recursos disponíveis.

A principal proposta e função do serverless computing é permitir que as empresas possam realizar suas atividades e criar suas soluções e aplicativos sem se preocupar com a infraestrutura necessária para ele rodar.

Quais os benefícios de investir nessa solução?

Mas por que focar em uma arquitetura serverless? Quais são as vantagens da sua implementação no negócio? Veja os principais motivos para implementar soluções com essa arquitetura no TI da sua empresa.

Redução de custos

Os custos na área de arquitetura serverless são bastante reduzidos. Isso porque são baseados em execução. Por ser um serviço escalável, você pode adquirir apenas o espaço necessário para a aplicação, não sendo necessário contratar espaço para que ele rode. Isso representa uma redução significativa nos custos, já que você paga apenas pelo processamento contínuo.

Além disso, não é necessário dedicar horas para o gerenciamento de infraestrutura de servidores (incluindo capacidade de armazenamento, atualização de servidores, entre outras funções), o que permite aos especialistas dedicarem maior tempo a outras funções, diminuindo os custos totais do setor.

Por exemplo, pode-se entregar um número maior de soluções simultaneamente, já que há uma economia de tempo, permitindo que os profissionais possam se dedicar a novos projetos.

Maior flexibilidade de servidor

Como o objetivo é focar no produto principal, há uma maior flexibilidade de servidor. Ele será utilizado apenas de acordo com a demanda gerada, não sendo necessário contratar máquinas virtuais ou servidores para rodar a aplicação.

Isso permite uma menor preocupação com o gerenciamento e operação destes servidores, podendo dedicar esse tempo para o desenvolvimento de produtos melhores, com maior escalabilidade e confiabilidade.

Redução de riscos e ameaças

A computação serverless se volta mais para a aplicação em si do que para a infraestrutura. Isso significa que exige um maior cuidado com vulnerabilidades existentes. Esse tipo de comportamento faz com que seja necessária uma rotina obrigatória de aplicação de patches de segurança, além de verificar o tráfego de dados constantemente e averiguar, recorrentemente, se os dados estão devidamente anonimizados e criptografados.

Como há a exigência dessa postura, há uma redução dos riscos e ameaças que possam comprometer a segurança das informações que circulam pela aplicação.

Possibilidade de construção de aplicações escaláveis

Um grande benefício da arquitetura serverless é que eles são altamente escaláveis, de forma que novas aplicações podem ser acionadas por conta própria. As funções podem ser realizadas em paralelo e vão escalando automaticamente, de acordo com o aumento de volume de chamadas.

A arquitetura serverless representa uma revolução na área de computação e TI e pode trazer uma série de benefícios para os especialistas e para as empresas que decidem implementá-la no seu dia a dia. Assim, sua organização conta com diversos benefícios com seu uso ao longo do tempo.

Quer continuar se atualizando com mais dicas importantes para otimizar o setor de TI da sua empresa? Então, assine nossa newsletter e receba, diretamente em seu e-mail, mais informações como essa!