Em um mercado que se mostra cada vez mais digital e competitivo, gerir bem o setor tecnológico de uma empresa impacta muito no seu sucesso. Como você investe na governança de TI para atingir esse tipo de resultado?

Nesse artigo, queremos não só discutir a importância de governar ativos e processos tecnológicos, mas também como a cloud computing entra nessa equação. Conheça melhor a relação entre as duas coisas, saiba como garantir uma TI eficiente e quais são os desafios para o futuro de uma carreira em constante mudança. Confira!

Qual é a importância da relação entre cloud e governança de TI?

Para sedimentarmos essa relação entre dois conceitos tão relevantes para profissionais de TI, vamos explicar a importância deles em separado, para só então entendermos como se relacionam. Acompanhe.

Governança de TI

A governança já é um conceito bastante conhecido no mundo corporativo. É o conjunto de processos, estratégias e monitoramento de indicadores que permite quem administra ter controle próximo e pleno da estrutura organizacional de sua empresa. Nos últimos anos, porém, um dos setores dentro de qualquer negócio passou a demandar o mesmo tipo de atenção: o departamento de tecnologia da informação.

A TI deixou de ser apenas um dos pontos de apoio à operação para se tornar uma necessidade estratégica dentro do negócio. Soluções tecnológicas são a origem de novas ideias e a ferramenta para alcançar esses objetivos.

O resultado disso é que não só a sua função ganhou importância, como o seu setor se tornou muito mais complexo. A eficiência da TI é a eficiência da empresa e uma infraestrutura quando implementada pode significar o sucesso ou o fracasso de um novo produto ou serviço.

A governança de TI, portanto, surgiu como uma forma de lidar com essa nova realidade. Ter controle sobre ativos, como são utilizados e seus processos é uma obrigação de novos gestores na área. A ideia é que você possa exercer liderança no trabalho da equipe e na estruturação da produtividade (unindo a isso investimentos e manutenção de ativos) com um foco diário em eficiência, otimização e economia — tudo o que traz vantagem competitiva atualmente.

Cloud computing

computação em nuvem não é mais novidade para gestores de TI. Além do armazenamento remoto e seguro de dados, o avanço dessa tecnologia vem revolucionando a forma como empresas impactam e satisfazem seus clientes.

Por ser uma solução interna de infraestrutura e externa de entrega, o sucesso da cloud computing hoje pesa muito na capacidade do(a) gestor(a) responsável buscar os melhores fornecedores, as melhores parcerias tecnológicas e investir muito na implementação dessas soluções.

A cloud computing hoje pode ser uma facilitadora para uma TI enxuta e produtiva. Pode ser também a base para novas estratégias de negócio que envolvam tecnologia — como entrega de produtos e serviços tecnológicos, apps, lojas virtuais, sites, sistemas com áreas exclusivas para clientes, etc.

Além disso, ela também agiliza o desenvolvimento dessas soluções pela equipe, tudo isso com muita colaboração e interação de outros departamentos.

Ou seja, a nuvem é uma solução completa para crescimento e consolidação de novas ideias, independente do tamanho do negócio. Mas é impossível extrair seu potencial máximo e o retorno esperado quando não há planejamento e organização desde a implementação até o uso.

A relação entre as duas

Quando unimos os dois conceitos, vemos uma situação bastante interessante, mas que diz tudo sobre como deve funcionar o trabalho de quem gere a TI do futuro: a cloud computing pode contribuir para a governança da mesma forma que a governança pode contribuir para a cloud computing.

O papel da governança de TI é modernizar, simplificar e incluir monitoramento e inteligência no manuseio de dados corporativos. É criar um ambiente virtual saudável e estruturado para facilitar o trabalho de todos os departamentos, não só a sua gestão.

É papel da cloud computing oferecer o suporte tecnológico para essa organização, com automação de tarefas rotineiras, coleta de informações sobre uso e maior controle no acesso desses dados. Assim, uma boa governança garante a implementação e utilização da nuvem para otimizar a TI. Em retorno, a cloud facilita a própria governança e ainda aponta os caminhos que gestores precisam seguir para extrair ainda mais produtividade de sua equipe.

Nessa via de mão dupla, quem consegue uma visão geral de seu sistema e o seu papel no sucesso da empresa sai na frente. Quando a transformação digital virar assunto sedimentado e do passado (e esse dia está chegando), não vai sobrar muito espaço para quem não consegue esse tipo de sintonia.

Quais são as vantagens dessa sinergia?

Investir em governança e em cloud computing são duas ações cada vez mais importantes para quem quer fazer sua TI se tornar o centro do sucesso de um negócio. Aliar esses dois conceitos abre a porta para otimização, eficiência e mais qualidade no trabalho de todos. Veja, a seguir, o que você, sua equipe e toda a empresa ganham.

Maior controle sobre ativos tecnológicos

Esse primeiro ponto é óbvio quando pensamos na TI sob a perspectiva estrutural e de administração. Ter governança significa ter processos bem desenhados, fluxos controlados e inteligência na distribuição de tarefas e responsabilidades. Aliando esse conceito à cloud computing, o que a TI ganha é um ambiente de trabalho onde seus ativos são simplificados (menos infraestrutura própria para cuidar) e melhor aproveitados dentro de uma organização de trabalho.

Sem governança e sem a nuvem, muitos gestores têm dificuldades de manter seus servidores e terminais trabalhando no máximo de seu potencial. É um cenário de desorganização e baixa eficiência.

Ter uma boa governança significa controle sobre ativos tecnológicos: quanto custam, como interagem, qual seu retorno e como são utilizados. A cloud computing, com bons fornecedores, ajudar a ter esse nível de gestão ao mesmo tempo que diminui a complexidade do seu sistema.

Maior controle sobre o uso da nuvem

Da mesma forma que a cloud facilita a governança, a governança facilita o monitoramento da cloud — e isso tem muito a ver com o sucesso no compliance. Nesse ponto, o importante é ter termos de uso bem definidos e apoio de ferramentas que controlem acesso, realizem backups periódicos e identifiquem anomalias no uso de dados.

São questões importantes para a sua gestão que podem se tornar pontos cegos quando não há estruturação e organização na TI. Além de dificultar o seu trabalho, é o tipo de omissão que pode trazer riscos não planejados para o sistema e, consequentemente, o sucesso da empresa.

Mais segurança

Reforçando um pouco melhor essa ideia, a governança de TI aliada à cloud é uma busca por mais proteção de dados e processos que são sigilosos ou segredos competitivos da empresa. Quando a infraestrutura de TI é mal gerenciada, fica muito difícil identificar brechas ou até tentativas de invasão. A resposta demorada a esses perigos ocasiona o comprometimento de dados. 

Em um mercado onde a informação é tão valorizada e os clientes confiam tanto na proteção de seus dados pelas empresas, correr esse tipo de risco pode resultar numa mancha para a marca ou até em um desastre comercial.

Mais produtividade

Uma TI organizada e segura é um ambiente muito mais tranquilo para se trabalhar. E uma equipe eficiente de TI reflete sempre na produtividade de todos os departamentos depois da transformação digital.

A relação aqui entre governança e nuvem é clara, é como trabalhar em uma mesa abarrotada de papéis empilhados de qualquer jeito ou ter apenas um notebook com tudo o que você precisa. Organização facilita o trabalho. Quando você consegue oferecer um sistema simples e responsivo, toda a empresa se beneficia.

Além disso, o uso da nuvem permite a inclusão de trabalho remoto na rotina dos departamentos. Com uma governança adequada, que garanta a interação segura e objetiva com o sistema de qualquer dispositivo, a TI abre a possibilidade do trabalho fora do escritório, o que agiliza decisões, ajustes e melhora a qualidade de vida dos colaboradores.

Mais economia

Os custos na nuvem vêm se provando ano após ano como uma vantagem sobre a manutenção de infraestrutura própria. Dentre os motivos para migrar, a maioria dos gestores de TI vai citar o orçamento como o principal. E se a troca do investimento em hardware pela assinatura de serviços está revolucionando a relação entre tecnologia e empresas, a governança garante que isso se realize em economia real sobre outras formas de abordar a TI.

Uma boa governança significa planejamento, implementação e monitoramento — todas essas etapas voltadas para eficiência e otimização de processos. Com isso, você consegue produzir ainda mais com a oferta de nuvem que tem ou reduzir esse valor sem perder em produtividade. Otimizar é o verbo principal no manual do gestor tecnológico. Quanto mais sucesso você tem nessa área, mais fôlego a empresa tem para competir.

Melhores investimentos

Outro benefício da estruturação inteligente da TI, apoiada na nuvem, é saber quando, como e onde investir para manter seu sistema sempre em evolução. A substituição dos gastos CAPEX (em bens de capital) por OPEX (em bens de serviço) foi o primeiro passo que a nuvem trouxe para facilitar o seu trabalho.

Até pouco tempo atrás, toda atualização de infraestrutura era um grande investimento pontual, que exigia muito planejamento e capacidade de prever demandas futuras — além de flutuações no mercado.

Com a nuvem, esse gasto é elástico e flexível. O que a TI precisa principalmente é da governança ajustada para entender o momento da empresa, os caminhos que ela precisa trilhar e fazer ajustes simples de oferta que se adéquem ao que o seu sistema e os outros departamentos precisam.

Mais objetividade em projetos de TI

Além de permitir uma reestruturação da TI voltada para o aumento da produtividade e otimização de processos, a governança aliada a nuvem se torna o casamento perfeito para projetos de desenvolvimento mais objetivos e colaborativos.

Esse benefício vem da organização da equipe e dos meios de produção. A TI pode adotar metodologias ágeis e frameworks para criar um ambiente de constante iteração e disrupção que trabalhe em um código, hoje pensando já em como construir em cima dele no futuro.

Isso é possível com ferramentas de comunicação, gerenciamento de times e com as regras que você pode determinar para dividir a equipe em responsabilidades e metas. Tudo isso acompanhando o progresso desses projetos em tempo real. Se você investe em nuvem e tem um bom controle sobre ela, a visão de gerenciamento de pessoas é completa.

Por onde começar?

Agora que definimos a importância e as vantagens de aliar processos de governança de TI com a cloud, é hora de partir para a prática. Unir as duas coisas é um trabalho de planejamento, inteligência e gerenciamento de pessoas, fundamental para o sucesso de qualquer tecnologia. Entenda como você pode fazer isso a seguir.

Comece pelo início

Planejar é sempre o início de qualquer estratégia, em qualquer área corporativa. Aqui não vai ser diferente. O primeiro passo de uma boa governança de TI é levantar as principais dificuldades e as oportunidades não aproveitadas para entender como atacar cada um desses pontos.

É um processo que precisa ser minucioso e não pode ser apressado. Depois de entender o que precisa ser feito para melhorar a TI e a empresa como um todo, é hora de desenhar o seu plano de ação, que vai envolver todos os pontos abaixo.

Defina seu orçamento

Para alinhar bem as necessidades da empresa com as capacidades da TI, o orçamento para tecnologia é uma questão essencial de ser discutida durante as reuniões da diretoria. Seu papel aqui é garantir o máximo de espaço para trabalhar. É preciso educar diretores de outras áreas na importância da TI para qualquer empresa no futuro.

Se você já vai para esse momento com um foco na governança e na nuvem, fica mais fácil convencê-los, já que os benefícios da otimização da TI refletem diretamente em pontos relevantes para os outros setores — produtividade, agilidade, economia, estruturação de dados etc.

Envolva toda a empresa

Quer realmente fazer uma diferença no sucesso do negócio? Então é hora de tratar a TI como centralizadora da produtividade de toda a empresa. É importante na sua construção de governança que você peça opiniões a outros diretores e gerentes, converse com colaboradores e entenda quais são as dores que podem ser solucionadas com redesenho de processos, inclusão de novas ferramentas e apoio da nuvem.

Investir em comunicação e educação é uma forma de otimizar ainda mais o uso da tecnologia, como também facilitar o seu trabalho. Menos chamados e problemas técnicos de origem no mal uso do sistema diminuem a carga de trabalho da sua equipe e dão mais tempo para focar em seu papel estratégico.

Encontre soluções que se encaixem em seus objetivos

Como já discutimos em todo este texto, a nuvem é peça fundamental em uma boa governança. Mas existem várias formas de transformar a estratégia da cloud computing em realidade. Algumas se encaixam melhor no seu sistema, outras nem tanto.

Então é hora de decidir questões importantes para que as soluções contratadas lhe atendam de verdade. Qual é a arquitetura da nuvem a ser utilizada? Qual o fornecedor mais apropriado? Qual modelo (público, privado ou híbrido)? Todas essas questões devem ser definidas ainda durante o planejamento.

Busque ajuda terceirizada

Uma dica interessante para começar o aprimoramento da sua governança é buscar ajuda especializada em empresas com expertise no gerenciamento de nuvem. Essa pode ser a solução para garantir a escolha do melhor modelo para suas necessidades e uma implementação focada na governança. Grandes parcerias quase sempre resultam em grandes TI’s.

Como otimizar o Cloud utilizando a governança?

Podemos conversar um pouco também sobre com a governança de TI influencia especificamente no uso da cloud computing. Como dissemos, a nuvem contribui para a gestão, mas a sua gestão também diz muito sobre o sucesso de uma estratégia de nuvem. Confira as dicas a seguir!

Defina e acompanhe indicadores de performance

Não dá para garantir uma TI otimizada sem conseguir medir e monitorar a sua evolução. É por isso que todo gestor na área deve ter atenção redobrada em seus indicadores de performance. Esse trabalho começa na definição dos parâmetros que mais influenciam a busca pela eficiência: custos, produtividade, retorno sobre investimento etc.

Existem alguns indicadores que são universais, mas é responsabilidade de gerentes tecnológicos entenderem sob qual ponto de vista a performance do seu sistema é mais clara — e, por consequência, ter uma melhor governança.

Invista em auditorias e consultorias

Para aprimorar ainda mais esse acompanhamento, você pode investir em avaliações periódicas do sistema, como marcos maiores que criem milestones de otimização e produtividade. As consultorias e auditorias são uma boa pedida nesse sentido. Elas vão garantir que a governança de TI implementada está realmente dando frutos no aprimoramento da cloud.

Esse pode ser um serviço interno, mas reserve uma parte do orçamento para fazer contratação de consultores quando possível. A visão de fora pode ser o que você precisa para redesenhar processos sem o vício da rotina.

Mantenha uma rotina de manutenção e atualização

A governança da cloud passa muito por disciplina e periodicidade. Uma das grandes vantagens da nuvem é que a manutenção e atualização técnica de hardware e software ficam por conta da empresa provedora, mas isso não significa que você não tem influência nisso.

Muitas vezes, mais do que a performance de uma ferramenta, o que importa para o resultado final é como ela é usada. Ter uma rotina para garantir a boa implementação da nuvem, aliando isso ao treinamento constante dos colaboradores, aumenta seu poder de governança e lhe dá mais controle sobre a produtividade.

Acompanhe a evolução da demanda e ajuste a oferta

Outra tarefa importante que é facilitada por uma boa governança de TI é adequar seus ativos tecnológicos às necessidades da empresa. Não é raro ver a dificuldade de negócios se sustentarem no mercado por uma dificuldade em acompanhar a demanda do público. Ou a empresa gasta muito sem ter o retorno que espera ou gasta menos do que precisa e não atende bem seu cliente.

A nuvem permite essa flexibilidade na relação entre custo e benefício. Ter bastante controle dos indicadores de performance e entender em uma visão macro como funciona a relação entre tecnologia e produtividade no sistema lhe dá o poder necessário para realizar esses ajustes em minutos.

Afinal, para quem gere uma TI do futuro, previsibilidade, estruturação e agilidade são características fundamentais.

Quais são os desafios?

Prestando atenção em todos os pontos que discutimos e focando a sua gestão na governança baseada na nuvem, o sucesso vai ser questão de tempo para a sua TI. Para finalizar, então, vamos propor apenas um pensamento no futuro. Veja quais são os desafios que se tornarão oportunidades com a consolidação da transformação digital.

A cultura de inovação se torna uma prioridade

A rapidez com que a tecnologia evolui reflete diretamente na velocidade com que uma empresa precisa se adaptar todos os anos para não perder a relevância. Em um mercado cada vez mais digital, essa responsabilidade cai inteiramente na TI, de ser o setor que puxa os outros departamentos a trabalharem pensando sempre no futuro.

Ou seja, a governança de tecnologia envolve sempre a governança de pessoas. É a sua hora de assumir essa responsabilidade e criar uma cultura de inovação em toda a empresa.

A internet das coisas entra na equação

internet das coisas, aos poucos, está se tornando uma realidade dentro das empresas. São dispositivos inteligentes que se comunicam com um sistema integrado sem a necessidade de interação humana.

Como todas essas novas tecnologias se convergem na nuvem, a governança da TI voltada para a otimização vai precisar, em algum momento, abraçar a IoT. O quanto antes você se preparar para isso, mais probabilidade de sucesso você terá para garantir o negócio produtivo e otimizado no futuro.

A gestão da TI se torna prioridade no negócio

Você deve ter percebido que falamos muito neste artigo sobre a importância da governança e da nuvem não só na produtividade da sua equipe, mas também na sua influência para a empresa como um todo. Esse é um caminho sem volta e o seu novo lugar é na mesa da diretoria. A sua estruturação e o investimento em tecnologia precisam ser voltados para um pensamento mais amplo, de como a nuvem se torna uma solução de negócio.

Afinal, a governança de TI vem se tornando uma governança de futuro — a sua capacidade de gerir a nuvem de forma otimizada e eficiente pode ser a base sobre a qual todos os departamentos vão erguer novas estratégias para conquistar o público.

Você é a fagulha dessa transformação. É hora de assumir a responsabilidade, convencer o resto da diretoria e planejar junto da sua equipe o futuro da empresa.

E aí curtiu o post? Ficou alguma dúvida ou deixamos de abordar algum assunto? Deixe seu comentário aqui embaixo!