Com a ascensão do trabalho dos analistas e cientistas de dados, ficou mais fácil produzir informações específicas para qualquer tipo de negócio. Dessa forma, os gestores conseguem fortalecer as suas estratégias comerciais, munidos com conhecimento que eles não tinham anteriormente.

No entanto, o gerenciamento de metadados proporciona um nível superior de informações importantes para a empresa. Neste post, apresentaremos o conceito e as maneiras pelas quais a gestão efetiva desses ativos possibilita diversos benefícios. Acompanhe conosco!

O que são os metadados?

Os metadados descrevem as diversas facetas de um ativo de informação, o que eleva a usabilidade daquele elemento durante todo o seu ciclo de vida. Além disso, eles fornecem um nível superior de entendimento para os profissionais que os manipulam.

Isso faz com que um determinado dado possa ser reutilizado e recuperado — aumentando a sua aplicabilidade para inúmeros tipos de utilização dentro do negócio. De forma bem-resumida, podemos dizer que os metadados são dados (informações) sobre os dados.

E onde eles podem ser encontrados? Em praticamente qualquer elemento de uma infraestrutura de tecnologia, robusta ou não. Eles existem em estruturas de cabeçalhos, sistemas legados, arquivos diversos de configuração, na nuvem e em mídias sociais.

Metadados técnicos fornecem alguns exemplos simples: colunas de uma determinada tabela em um banco de dados e chaves de validação. Além disso, existem os chamados metadados de negócios, que podem ser representados por níveis diferenciados de segurança.

A diferença principal entre os metadados e os dados é que os primeiros detalham instâncias ou até mesmo registros não específicos. Eles se assemelham pelo fato de que tanto o setor de TI de um negócio como o departamento financeiro, por exemplo, os utilizam para buscar mais conhecimento dentro da infraestrutura de tecnologia existente.

Outros exemplos, mais simples, envolvem elementos do cotidiano das pessoas: a data e o horário que acompanham um arquivo digital de imagem são metadados, assim como tags ligadas a um artigo de blog.

Isso porque eles também oferecem uma descrição da estrutura de um dado principal, oferecendo informações adicionais e relevantes sobre aquele elemento.

Quais são os benefícios do gerenciamento de metadados?

A partir dos metadados, as informações são processadas, consultadas e atualizadas em um sistema de tecnologia. Desse modo, será mais fácil entender como os dados foram gerados, além de mapear com maior precisão os ambientes nos quais ele residiu.

Eles funcionam, também, como um registro minucioso das alterações feitas nos dados. Assim, torna-se mais fácil entender como eles foram sendo manipulados pelos usuários.

É importante notar que documentar seus dados é uma maneira eficiente de evitar problemas na hora de produzir conhecimento relevante para o negócio.

Eles são formas de enriquecimento dos dados para que as soluções de software possam interagir com a informação de modo preciso. Assim, é possível preservar o significado dos elementos mesmo fora dos seus contextos originais.

Como realizar essa gestão?

As empresas colhem os frutos de uma estratégia exata de governança de metadados. Isso porque elas propiciam decisões melhor embasadas. Com esse tipo de gerenciamento, a companhia consegue uma visualização mais precisa do fluxo de dados operados dentro da organização.

Agora, vamos conhecer os passos de um trabalho efetivo de gerenciamento de metadados. As ferramentas devem ser robustas o suficiente para prover acesso às informações e ainda se alinharem às diretrizes do negócio.

Sample Data

O sample data, termo em inglês que descreve um período inicial de testes, é a primeira etapa de uma estratégia de gerenciamento de metadados.

Esse é o momento de gerar amostras para definir o contexto da operação com metadados. É um trabalho de visualização, que fornece aos gestores um entendimento mais profundo desses elementos.

Data Stats (estatísticas)

Estatísticas e modelos desenvolvidos por cientistas e analistas de dados fornecerão respostas para questões como a contagem e os valores mínimo e máximo daqueles metadados em particular.

Lineage (linhagem)

A lineage ajuda tanto os profissionais especializados como os gestores do negócio a entender as origens dos dados. Além disso, eles passam a entender como esses elementos “viajaram”, ou seja, circularam pelos sistemas da empresa.

Por fim, é possível identificar as diversas transformações que ocorreram com esses metadados. O estágio final dessa etapa é proporcionar um entendimento de onde esses elementos estão sendo utilizados.

Comunicação entre os profissionais

A comunicação é a chave para o gerenciamento eficaz de metadados. Por isso, é importante vincular todas as operações sendo realizadas. Desse modo, a produção conjunta de insights possibilita uma integração e produção de informações alinhadas com os objetivos da empresa.

Relacionamento com outros metadados

Essa funcionalidade deve ser respeitada por qualquer ferramenta de gerenciamento. Isso porque é crucial uma relação direta entre os diferentes metadados que circulam em um sistema para que a busca e transformação desses elementos em conhecimento relevante se torne possível.

Há vários meios de conseguir realizar tal fase: manual, por meio do trabalho humano, ou automaticamente. Nesse último método, há uma pesquisa por correspondências semânticas a outros elementos já existentes no sistema.

O papel da AWS no processo

A plataforma de serviços da Amazon, AWS, fornece diversas soluções para o trabalho de gerenciamento de metadados. A suíte AWS Glue, por exemplo, provê um repositório que opera por meio de inúmeras fontes de extração de dados.

O Glue se conecta a outras soluções da própria empresa, como o Amazon EMR, o Amazon RDS e o Amazon Redshift. Também conhecido como Data Catalog (catálogo de dados), o Glue consegue operar com uma suíte como o Apache Atlas.

Além disso, ferramentas como o Ipsense Cloud Content Manager realizam a gestão de conteúdo digital direto na nuvem, modernizando ainda mais o sistema. Com esse programa, é possível resolver questões relacionadas aos seguintes fatores:

  • ingestão;
  • indexação;
  • organização;
  • recuperação de conteúdo em grandes quantidades.

Essa solução digital utiliza uma ACL, Access Control List, uma lista que define permissões de acesso de acordo com cada usuário e os componentes do sistema. Ela é baseada em repositórios e metadados, além de outros tipos de documentos.

Como pudemos ver no post, o gerenciamento de metadados é um meio de extrair um número maior de informações de um dado específico. Além disso, é possível estabelecer o histórico daquele ativo virtual, entendendo suas alterações ao longo do tempo e tornando mais fácil a recuperação.

E aí, curtiu o post e quer visualizar nossos conteúdos em primeira mão? Então, aproveite para nos seguir nas redes sociais: estamos no Facebook e no Twitter!