A transformação digital mudou a forma como as pessoas se comunicam, trabalham e integram e automatizam os seus processos de trabalho. Procedimentos tradicionais, como o desenvolvimento em cascata, perdem espaço para abordagens que integrem equipes, criem profissionais multifacetados e agilizem entregas. A metodologia DevOps é uma alternativa para suprir essa demanda por agilidade e inovação contínua. Mas você sabe o que é DevOps?

O conceito de DevOps está relacionado a uma cultura e um conjunto de processos que unem equipes de desenvolvimento e operações, para concluir o desenvolvimento de um software de forma unificada. Essa metodologia permite que as organizações criem e aprimorem produtos em um ritmo mais rápido do que seria possível com as abordagens tradicionais de desenvolvimento de software.

Mas o que exatamente é o DevOps e qual é a importância para a sua empresa? Descubra isso e muito mais neste guia completo que preparamos para vocês. Confira!

O que é DevOps?

O conceito de DevOps se origina de duas palavras, Devs, que é uma abreviação de Development, ou desenvolvimento, em português, e Ops, abreviação para operations, ou operações, na tradução literal.

Os Devs trabalham no desenvolvimento de produtos de software, enquanto os Ops trabalham na implantação desse produto em servidores e em estratégias de segurança de dados, manutenção, monitoramento e dimensionamento da infraestrutura em que o software será implantado.

O DevOps reúne Devs e Ops para criar projetos de software baseados em entregas contínuas, desde o desenvolvimento até a revisão, teste, preparação e ambientes de produção. Para ser um profissional de sucesso em DevOps, o colaborador precisa ser completo, o que é raro, pois a maioria dos profissionais de TI tende a se especializar.

Não é à toa que esse processo está ganhando popularidade rapidamente e se tornando uma das maiores tendências no setor, pois oferece um diferencial competitivo bastante relevante.

Foco no trabalho colaborativo

A colaboração é o pilar do DevOps. Para aplicar a metodologia, a empresa precisa mudar a mentalidade tanto da equipe de desenvolvimento quanto da equipe de operações, para que atuem em conjunto e se responsabilizem por todo o produto em que estão trabalhando, e não apenas por sua área específica.

Isso requer um investimento digital, pois a automação é essencial para o DevOps, já que os profissionais utilizam muitas ferramentas para automatizar a implantação dos produtos, os testes e a configuração da infraestrutura em que o software é implantado. A computação em nuvem e as tecnologias que agilizam o acesso aos servidores remotos, como o Edge Computing, devem ser analisadas como alternativas para otimizar os processos.

A equipe de desenvolvimento, ao trabalhar com a equipe de operações, passará a ter um entendimento claro dos sistemas usados no ambiente. Como resultado, eles não se concentrarão apenas na criação de software funcional, mas criarão softwares que atendam às especificações dos sistemas nos quais será implantado.

Da mesma forma, a equipe de operações, ao se integrar à equipe de desenvolvimento, terá um entendimento claro do software, podendo canalizar seus conhecimentos sobre o software para criar um ambiente que possa suportar o aplicativo. O resultado dessa colaboração entre os times de desenvolvimento e operações levou a ciclos mais rápidos de lançamento de software e maior qualidade e segurança para os dados sensíveis.

Como funciona o DevOps?

Não é por acaso que o logotipo do DevOps é o símbolo do infinito. Esse formato serve para representar a atividade constante que a metodologia exige. O DevOps é sobre:

  • desenvolvimento constante;
  • testes constantes;
  • integração constante;
  • implementação constante;
  • monitoramento constante.

No ciclo de vida do DevOps, você passa do estágio de planejamento para o estágio de monitoramento e sempre inicia um novo ciclo. Confira 6 princípios para o desenvolvimento de uma estratégia de DevOps:

  1. adote uma mentalidade centrada no cliente, colhendo os feedbacks de acordo com as entregas;
  2. evite o modelo em cascata, em que cada unidade trabalha separadamente, sem supervisionar o projeto completo, e prefira uma metodologia em que todos compartilhem a mesma mentalidade com foco na criação de ótimos produtos;
  3. escolha profissionais com perfis diferentes, para trabalhar em equipes autônomas, nas quais eles podem se desenvolver pessoalmente;
  4. concentre-se na melhoria contínua para otimizar velocidade, custos e o próprio produto/serviço;
  5. automatize tudo o que puder, incluindo a infraestrutura, por exemplo, usando plataformas de nuvem baseadas em contêineres de última geração — infraestrutura como código;
  6. escolha um provedor de hospedagem de aplicativos que ofereça as ferramentas adequadas a esse modelo de trabalho.

Como surgiu a abordagem do DevOps?

Muito além de uma simples metodologia para o desenvolvimento de aplicações, o DevOps exige uma mudança cultural que visa atender as demandas de corporações que têm como principal serviço o desenvolvimento de software, sites, aplicativos etc.

Com o modelo tradicional em cascata, os requisitos de software eram claros e bem definidos com antecedência. A definição do produto em si também era estável. Os desenvolvedores programavam o software, depois as equipes operacionais cuidavam da implementação nos sistemas.

Mas o mundo da TI está mudando rapidamente, a exigência está cada vez maior e a concorrência, mais qualificada. Nesse cenário, o software precisa ser desenvolvido em um ritmo cada vez mais acelerado.

O foco não é apenas a venda de softwares de forma mais rápida, mas a atualização constante para que a aplicação possa sempre estar de acordo com as necessidades de mercado, com segurança e eficiência. As atualizações devem ter como foco a adição de novos recursos e correção de eventuais erros. Isso leva ao modelo de desenvolvimento ágil.

Por exemplo, no desenvolvimento de um ERP em nuvem para um cliente, não é apenas o time de desenvolvimento que deverá atuar com agilidade e eficiência. A equipe operacional, que faz o monitoramento e implantação de novos aplicativos, também deve ter a mesma velocidade e exatidão nos processos, para entregar um sistema alinhado às necessidades da empresa contratante.

Esse cenário leva à abordagem do DevOps. Muita gente relaciona esse termo a uma colaboração mais próxima entre os “Dev”, desenvolvedores, profissionais responsáveis pela criação de uma aplicação, e os “Ops”, a equipe operacional que lida com o lançamento, a implantação, a operação e o monitoramento do software.

Mas o DevOps é muito mais do que isso, é um “estado de espírito”, uma abordagem comum para um problema, que vai muito além da natureza puramente técnica; uma abordagem em que todos os níveis da empresa estão envolvidos, incluindo finanças e marketing, e em que a comunicação é vital.

Todos (desenvolvedores e administradores de sistemas, bem como gerentes de rede e analistas de negócios) agora fazem parte da mesma equipe. E todos trabalham em direção a um objetivo comum: o sucesso de todo o projeto — e não mais como era antigamente, em que cada um cuidava de sua área.

Para que você consiga entender o que é o DevOps e por que ele é tão importante, vamos examinar os dois métodos tradicionais que abriram o caminho para o DevOps: Waterfall e Agile.

Entendendo o método de desenvolvimento de software Waterfall

O método Waterfall, em cascata, de desenvolvimento de software, adota uma abordagem metódica e sequencial para o desenvolvimento. A abordagem Waterfall começa com um extenso planejamento e design. Em seguida, a equipe de desenvolvimento codifica o software.

Quando a equipe de desenvolvimento termina, outra equipe a testa e, uma vez concluído o teste, o software é entregue à equipe de operações, que fará a implantação. No final, um software acabado é entregue ao cliente. No entanto, os requisitos podem mudar no meio do processo de desenvolvimento, e esse método não leva isso em consideração.

Portanto, o resultado é a entrega de um software insatisfatório ou um desperdício de tempo e dinheiro com a mudança de planos. Além disso, o método Waterfall se concentra apenas no fornecimento de software funcional e não considera como o software funcionará em um ambiente de produção em tempo real.

Desenvolvendo software com o método Agile

Enquanto a abordagem Waterfall não se adapta bem às alterações, o método Agile funciona nesse cenário. Nessa metodologia, o foco está no fornecimento de pequenas versões de software em vez de um produto inteiro, o que facilita muito o ajuste em caso de mudanças de direcionamento. Para que isso flua bem, uma equipe do Agile deve ser multifuncional e composta por um membro da equipe do planejamento, outro da codificação, outro do teste e assim por diante.

Todos eles trabalham juntos para produzir a iteração do software em que estão trabalhando. Isso facilita a identificação de bugs, a modificação do código para atender a novos requisitos e muito mais. Embora a abordagem interfuncional iterativa da Agile tenha ajudado muitas empresas a oferecerem software de qualidade superior, ela não deixa de ter suas imperfeições.

Os prazos geralmente são perdidos, às vezes partes do software concluídas não funcionam entre si e, ocasionalmente, algumas atualizações interrompem funções mais antigas. Além disso, assim como no método em cascata, o Agile também se concentra apenas na criação de software em funcionamento e não considera como o ambiente de produção afetará a aplicação e vice-versa.

Dev e Ops são mais fortes juntos

Nos dois métodos tradicionais, a não inclusão de operações no processo de desenvolvimento de software leva a problemas e discordâncias entre a equipe de desenvolvimento e a equipe de operações. Isso ocorre porque quando algo dá errado, é difícil distinguir se o problema está no código ou na implantação.

No fim, ocorre uma rivalidade entre os dois departamentos. DevOps nasce justamente da necessidade de uma nova abordagem que remova a barreira entre as equipes de Dev e Ops.

Quais são os princípios da abordagem DevOps?

As relações tradicionais entre desenvolvedores, testadores, gerentes de versão e administradores de sistema são divididas. Eles trabalham mais de perto durante todo o processo de desenvolvimento e implantação, o que lhes permite entender melhor os desafios e as questões que cada um enfrenta.

Os desenvolvedores, por exemplo, pensam mais em operações, fontes, tempo de atividade e confiabilidade. Eles podem, por exemplo, criar switches que permitam que as equipes de operações ativem ou desativem recursos ou certas opções quando o tráfego atinge o pico. As equipes de operações auxiliam os desenvolvedores, possibilitando testes rápidos e monitorando-os.

A abordagem DevOps, portanto, requer pessoas com habilidades multidisciplinares — profissionais que se sintam confortáveis em um ambiente de infraestrutura e configuração, mas que também sejam capazes de executar testes e depurar software. DevOps são construtores de pontes, qualificados em todos os campos.

Se toda a equipe do projeto é ágil, quando há um problema no código, por exemplo, um novo recurso ou uma correção de bug podem ser enviados para produção rapidamente, ou pode-se até mesmo desfazer o código, se necessário.

Quanto menor a distância entre as versões, menor o impacto de uma possível falha. Assim, as empresas conseguem estar em constante processo de inovação, implementando as atualizações de maneiras simples, porém constante, o que é essencial para as startups que buscam o topo de mercado.

A abordagem do DevOps tem consequências para todo o pipeline de entrega de um projeto, incluindo:

  • mais rapidez para colocação no mercado;
  • taxa mais baixa de falha de novos lançamentos;
  • prazo reduzido de entrega entre correções;
  • mais agilidade na recuperação (se uma nova versão travar).

Cloud Computing IPsense

Quais são os benefícios da abordagem DevOps?

No nível humano, o principal benefício é obviamente a mudança de cultura organizacional. A abordagem do DevOps aprimora a empatia entre os membros da equipe e une setores que antes trabalhavam de forma independente e sem conexão pessoal.

O que a abordagem do DevOps realmente alcança está claramente indicado no relatório — Puppet’s State of DevOps. Esse relatório anual compara empresas que adotam práticas de DevOps com empresas que não utilizam a metodologia como forma de otimizar a implementação do produto, integrar equipes e aumentar a segurança.

Desempenho de TI

As empresas que utilizam DevOps implantam 200 vezes mais, com um tempo de execução 2,5 mil vezes menor. Eles se recuperam 24 vezes mais rápido e têm taxas de retrabalho 3 vezes menores.

Integração da equipe

As pessoas que trabalham em empresas DevOps têm uma probabilidade 2,2 vezes maior de recomendar a organização como um ótimo local para trabalhar;

Otimização de tempo

As empresas gastam 22% menos tempo em trabalhos e retrabalhos. Dessa forma, eles podem gastar 29% mais tempo em novos projetos, como a criação de novos recursos inovadores.

Mais Segurança

Com DevOps, as empresas perdem 50% menos tempo em correção de problemas de segurança, pois as informações sobre eventuais brechas na aplicação se integram melhor no trabalho diário.

Como implementar o DevOps?

Desenvolver uma cultura DevOps requer planejamento, boas ferramentas e mudança na cultura corporativa. Não é tarefa das mais simples, mas com alguns passos simples você poderá dar os primeiros passos para desenvolver uma mentalidade de DevOps. Confira abaixo as dicas básicas:

  • estabeleça um planejamento a longo prazo estipulando como você deseja que sua equipe opere por um período de 12 a 18 meses;
  • examine seus processos atuais de trabalho, reflita e pergunte à sua equipe o que pode ser melhorado e quais são os riscos;
  • incentive suas equipes a dar a sua opinião: como eles acham que os processos poderiam ser aprimorados de forma realista? Como eles se sentem ao ter operações lidando com projetos de desenvolvimento?
  • Descubra quem, entre os seus colaboradores, está disposto a aprender novas habilidades;
  • sinta-se livre para compartilhar suas conclusões e seu plano com outras unidades: equipes multifuncionais podem estar envolvidas em toda a organização para melhorar a eficiência;
  • ao contratar novos profissionais, integre-os ao DevOps com habilidades multifuncionais e dê a eles a oportunidade de aprender novas habilidades.

Por que o DevOps é importante?

Agora que já sabemos o que é DevOps, suas características e benefícios, vamos entender como essa metodologia está mudando o paradigma produtivo dentro das empresas. Veja abaixo por que essa metodologia é adotada de forma tão massiva. Acompanhe!

Permite ciclos de desenvolvimento mais curtos e aceleração da inovação

Quando as equipes de desenvolvimento e operações estão separadas, fica difícil saber se um aplicativo está pronto para operação. Quando as equipes de desenvolvimento entregam um aplicativo, os prazos de ciclo das operações são estendidos desnecessariamente.

Com uma equipe de desenvolvimento e operações trabalhando de forma combinada, as aplicações estarão prontas para uso muito rapidamente. No cenário atual, as empresas que ampliarem sua capacidade de inovação de forma ágil e com qualidade certamente serão bem-sucedidas. Os ciclos de desenvolvimento mais curtos permitem a primeira entrega de um aplicativo ao mercado 60% mais rápido do que nas abordagens tradicionais.

Reduz a margem de erros

O excesso de retrabalho custa caro às empresas e atrasa a entrega para o cliente, reduzindo a capacidade de fidelização da empresa. Um dos principais motivos pelos quais as equipes experimentam falhas na implantação são os defeitos de programação.

Os ciclos de desenvolvimento mais curtos com o DevOps promovem lançamentos de código mais frequentes, o que, por sua vez, facilita a identificação de defeitos no código. Portanto, as equipes podem reduzir o número de falhas de implantação usando os princípios de programação ágil que exigem colaboração e programação modular. As mudanças são mais fáceis de gerenciar porque apenas alguns módulos são afetados.

O tempo de recuperação é uma questão importante, pois é normal que haja pequenas falhas. Mas a recuperação é muito mais rápida quando as equipes de desenvolvimento e operações trabalham juntas, trocando ideias e respondendo pelos desafios de ambas as equipes durante o desenvolvimento.

Aprimora a comunicação e a colaboração

O DevOps aprimora a cultura de desenvolvimento de software, pois, quando as equipes trabalham combinadas, há mais harmonia e produtividade. Isso acontece porque o foco está no desempenho, e não nos objetivos individuais.

Quando há confiança entre as equipes, aumenta a liberdade que os profissionais têm para experimentar e inovar, sem que haja problemas de incompatibilidade e falhas de comunicação, como seria com equipes distintas.

Ao contrário da metodologia tradicional, não é mais uma questão de simplesmente entregar o aplicativo para a equipe de operações e esperar para ver o que acontece. As operações não precisam esperar que uma equipe diferente resolva problemas e corrija um problema. O processo se torna cada vez mais transparente à medida que todos os profissionais trabalham com foco em um objetivo comum.

Entrega uma maior eficiência

Maior eficiência ajuda a acelerar o processo de desenvolvimento e torná-lo menos suscetível a erros. Existem maneiras de automatizar tarefas do DevOps — servidores de integração contínua automatizam o processo de testes de código, reduzindo a quantidade de trabalho manual e burocrático. Isso significa que os engenheiros de software podem se concentrar em tarefas mais complexas e que não podem ser automatizadas.

As ferramentas de aceleração também oferecem a oportunidade para aumentar a eficiência e agilidade dos processos. Por exemplo: infraestruturas escaláveis, como plataformas baseadas em nuvem, aumentam o acesso que a equipe tem aos recursos de hardware. Como resultado, as operações de teste e implantação ficam mais ágeis.

As ferramentas de aceleração de compilação ajudam a compilar o código mais rapidamente. Os fluxos de trabalho paralelos podem ser incorporados à cadeia de entrega contínua para evitar atrasos — o que pode acontecer quando uma equipe espera que outra conclua seu trabalho para começar.

Ao trabalhar de forma integrada, reduz-se a necessidade de fazer múltiplas transferências de dados entre ambientes distintos. Isso significa que você não precisa usar um ambiente para desenvolvimento, um ambiente diferente para teste e um terceiro para implantação.

Permite a redução de custos

Todos os benefícios do DevOps se traduzem em custos gerais reduzidos e em uma equipe mais enxuta.

O mercado tem respondido rapidamente a essa metodologia e está implementando DevOps em uma escala cada vez mais rápida. As organizações estão ansiosas para tirar proveito de entrega mais rápida de aplicativos, inovação aprimorada, ambientes operacionais mais estáveis e equipes focadas no desempenho.

As médias e pequenas empresas, que não têm orçamento disponível para investir em uma equipe de TI inovadora, mas que querem fazer do DevOps o modelo de desenvolvimento para sua organização, podem contratar um parceiro com know-how para aproveitar os benefícios dessa prática.

Agora você já sabe o que é DevOps, qual a sua importância e os benefícios que essa metodologia traz para a empresa, com ganho de agilidade, redução de desperdícios e maior integração entre as equipes.

Gostou do nosso post? Então, assine já a nossa newsletter e receba em primeira mão as nossas novidades.