Uma das maiores preocupações dos gestores na hora de criar um site corporativo é em relação à aparência e às funcionalidades, além das estratégias de marketing para atrair visitantes. Porém, de nada adianta ter um site tecnicamente perfeito, se ele for instável. Nesse cenário, a escolha criteriosa da hospedagem de ser tão importante quantos os outros quesitos, e o servidor VPS se apresenta como uma excelente opção.

Um site fora do ar ou instável em momentos de alta demanda pode significar milhares de reais perdidos a cada hora parado. Imagine uma empresa de varejo ficar com o site instável em plena black friday! Seria um prejuízo e tanto, não é mesmo? Há também a perda de credibilidade, pois os clientes ficarão com a imagem ruim de seu site e evitarão entrar nele para não perder tempo.

Para o ajudar nessa escolha, vamos apresentar uma opção de hospedagem que está se tornando uma grande tendência, o servidor VPS. Quer saber o que é e como funciona esse modelo? Continue a leitura!

O que é o VPS?

VPS é uma sigla para o termo em inglês Virtual Private Server, que em tradução literal seria Servidor Virtual Privado. Para que a gente entenda melhor o que é essa tecnologia, vamos explicar cada uma das palavras que formam a sigla.

O Servidor nada mais é o deu o servidor web, ou seja, local em que os seus arquivos ficarão armazenados. A palavra virtual se refere ao fato de o servidor ser virtualizado, ou seja, ele é gerado por um software, em vez de uma máquina física. E o termo privado é autoexplicativo, significa que o acesso a esse servidor só é feito por pessoas devidamente autorizadas.

Como funciona o servidor VPS?

Um servidor VPS funciona dentro de um servidor físico, porém, os seus recursos e capacidades são separados em um ambiente virtualizado, deixando os arquivos do site hospedados nesse tipo de servidor restrito.

O objetivo é evitar interferências de outros sites presentes no mesmo servidor, pois cada VPS tem os seus recursos delimitados dedicados ao servidor virtual em questão, ou seja, não há a divisão de acordo com prioridade de demanda.

O VPS utiliza um sistema operacional próprio, independentemente do que é utilizado pelos outros clientes que estão hospedados no mesmo servidor e também sem dependência do SO utilizado pelo servidor físico que hospeda todos os VPS.

Uma das diferenças marcantes entre um servidor VPS e um servidor compartilhado é que no primeiro caso o usuário tem acesso root — administrativo — ou seja, pode fazer configurações e instalar os programas que desejar.

Qual o seu custo-benefício?

O Servidor VPS é sempre a melhor escolha quando o usuário busca, além da exclusividade, o melhor custo-benefício — se compararmos com a utilização de um servidor dedicado. Isso porque o usuário paga por apenas um pedaço em um servidor físico maior. Isto é, todos os custos referentes à manutenção e às configurações do servidor que receber os VPS são diluídos entre os clientes.

Fazendo uma analogia, podemos dizer que, quando o usuário opta por um VPS, ele está alugando uma sala em um prédio, que é o servidor físico. No caso do prédio, toda a manutenção é diluída entre os apartamentos, que pagam um valor de condomínio bem inferior à manutenção do prédio todo. No VPS, essa é a relação entre servidor físico, o prédio, os virtuais e as salas.

Qual a diferença de um servidor VPS para os outros tipos de hospedagens?

Agora que já sabemos o que é VPS e o seu funcionamento, vamos entender melhor as diferenças dessa opção em relação aos outros modelos de hospedagem mais populares. Acompanhe!

Hospedagem Compartilhada

A hospedagem compartilhada, como o próprio nome sugere, é aquela em que há o compartilhamento de um servidor entre vários usuários. Nesse cenário, não há recursos dedicados, pois o seu site rodará no mesmo sistema operacional dos demais.

Os recursos de computação também são compartilhados, ou seja, o provedor precisa limitar o tráfego de cada conta para que quando haja um pico de acesso em um site, os outros não fiquem instáveis. Não há personalização, todas as configurações de uma hospedagem compartilhada ficam por conta do provedor.

Todas essas características fazem da hospedagem compartilhada a solução ideal para pequenos negócios, com baixo tráfego e que necessitam reduzir custos.

Hospedagem Cloud

Na hospedagem em nuvem não há centralização em um único servidor, mas em uma virtualização feita em múltiplos servidores que rodam na nuvem. Os benefícios de utilizar a tecnologia cloud computing é que o usuário se beneficia de soluções como a redundância, que nada mais é do que várias cópias de seu site.

Se um servidor estiver instável, o tráfego é redirecionado. Há também a possibilidade da utilização dos CDNs, que aproximam o servidor da requisição, entregando sempre os arquivos a partir do servidor mais próximo geograficamente do usuário.

Hospedagem Dedicada

A hospedagem dedicada nada mais é do que a aquisição ou aluguel de um servidor físico para uma empresa. É indicado para empresas que têm uma demanda muito alta e necessitam de personalização.

Por se tratar de um servidor interno, o custo é bem mais elevado, começando pela aquisição de equipamentos, custos de manutenção, energia elétrica, refrigeração, aquisição de um gerador para manter a disponibilidade ininterrupta e uma equipe capacitada para manter tudo funcionando. É a solução mais cara, porém, é a que permite a personalização completa e 100% de exclusividade.

É inegável os benefícios do servidor VPS em comparação com as demais opções, pois ele oferece a exclusividade e personalização de um servidor dedicado, com a diluição dos custos de uma hospedagem compartilhada.

Para escolher a melhor solução é importante que o gestor tenha em mente as reais necessidade de seu negócio, para que a escolha não se torne uma dor de cabeça mais tarde. Se a sua empresa quer mergulhar de vez na transformação digital, com a integração de processos e centralização das informações, é importante começar com a adoção da computação em nuvem em seus procedimentos, seja com os servidores VPS, seja com alguma outra tecnologia da cloud.

Gostou do post? Que tal conhecer um pouco mais sobre os desafios do armazenamento em nuvem? Confira!